Conheça o seu Pug. Temperamento do seu cão.

Oi Pessoal!!!

Já falamos sobre a origem da raça, sobre o padrão atual, falamos sobre as possíveis doenças e até sobre filmes onde eles participam. Agora chegou o momento, na minha opinião, considerado um dos mais importantes, pois é a hora de conhecer o seu Pug, saber de seus hábitos, comportamentos e personalidade.
É importante saber como irá se comportar a raça antes de traze-la para suas vidas,







estes conhecimentos são importantes, pois o dono terá que compreender certas atitude do cão. A falta de informação, na maioria dos casos, trazem uma certa frustração do dono quanto ao animal, exige-se do cão as vezes o comportamento fora do perfil típico da raça e no final, a felicidade não é completa por ambas as partes.
Segue abaixo como o Pug vive e interage com as pessoas e veja se ele se enquadra no seu perfil.

Com a Família:

É um cão de companhia por excelência, o Pug é alegre e amoroso com todas as pessoas da casa. Como a maioria dos cães, tende a eleger um dono em especial. E faz o estilo grude. É de segui-lo pela casa inteira, de esperá-lo na porta do banheiro e dormir nos seus pés. Também solicita atenção e carinho. Volta e meia, se manifesta com pulinhos para ganhar um colo ou cafuné e adora aparecer com brinquedos na boca para que sua folia não seja solitária.  



Com cães e animais:
A vida em comunidade sempre envolve risco de conflito. Mas o Pug, normalmente, é bastante sociável e receptivo ao convívio com outros cães, ainda que do mesmo sexo, e também com a bicharada em geral, como gatos e aves. De vez em quando, pode até dar uma implicada com algum deles, mas nada que costume trazer conseqüências sérias.


Obediência:
Cheio de vontade própria, o Pug não faz o estilo obediente. Acatar comando ou ordens só se lhe for conveniente. Claro que, se os donos souberem educá-los com disciplina e liderança, podem até driblarem esse estilo teimoso de ser. Mas sucesso total e virtualmente impossível. Quando os exemplares da raça não estão a fim de fazer alguma coisa, simplesmente não fazem. Fingem-se de surdos e ponto final. O lado bom é que o Pug não é travesso e nem ativo demais. Por isso, raramente suas desobediências representam transtornos significativos.

Com pessoas fora de casa:
O Pug é muito amigável. Eventualmente pode até dar uns latidos quando chegam visitas desconhecidas em sua casa, mas é só. Depois, já vai logo abanando a cauda e festejando a pessoa. É simpático até com quem não deve.
O quanto late:
Muito silencioso, o Pug late pouco e em raras ocasiões. Não é daqueles que necessariamente avisam quando toca a campainha ou quando entram visitas. Por isso, se a expectativa é adquirir um cão discreto, que não incomode a vizinhança com barulho, a raça tem tudo para agradar.
Destrutividade:
Cães naturalmente bem-comportados são sempre bem-vindos e nem tão comuns assim. O Pug é um deles. Salvo na infância, quando qualquer cão precisa dar suas roidinhas aqui e ali. Os Pugs adultos raramente são apontados como destruidores de móveis e objetos dos donos. Também aprendem rapidamente a fazer necessidades no lugar certo.

Com crianças:
Paciente e afetuoso com a garotada o Pug é. Mas nem sempre tem pique para muita correria e confusão. Além disso, vale ressaltar que o seu porte, ainda que massudo, é pequeno, e seus olhos, proeminentes, muito vulnerável a trancos e impactos em geral. Por isso é melhor supervisionar a relação com crianças muito novas. Em geral, elas não têm a delicadeza necessária para lidar com a cachorrada.




Grau de atividade:
Raça de atividade moderada para baixo, o Pug tem seu momento diários de entusiasmo, quando gosta de correr e brincar. A maior parte do tempo, contudo, prefere ficar sossegado, cochilando ou observando o ambiente. Daí ser um excelente companheiro para passatempos tranqüilos como longas jornadas na frente da TV ou do computador. Mas não pense que ele se recusa a convites para atividades mais intensas. Isso nunca. Entretanto, como a sua respiração não é das melhores e ele é sujeito a Hipertemia, o dono deve poupá-lo de grandes atividades físicas, principalmente se o clima estiver quente. Definitivamente não se trata do cão ideal para aqueles que procuram um parceiro nos esportes.
Inteligência:
Espertos e observadores, os Pugs vivem surpreendendo os donos. São daqueles que desaparecem ao menor sinal de que visitarão o veterinário ou ao ver os apetrechos do banho. Também aprendem com facilidade a abrir portas e são versáteis para bolar maneiras de resolver alguns probleminhas, como tirar brinquedos de baixo de móveis: Testam todas as frestas, tentam com as patas, com a boca e, por fim, se não conseguem, dão um jeito de chamar a atenção dos donos para que lhe resolvam a missão impossível.


Aposto que depois deste tópico vocês irão querer ter um.


Grande abraço!!!